Zago quer arrochar salários e destruir a USP

Ele abriu processo contra Rodas porque houve implantação do Plano de Carreira. Zago era pró-reitor na época e ficou calado. Agora parte para demissões e cortes de verbas.

O reitor da USP, Marco Antonio Zago, abriu processo interno contra seu antecessor, João Grandino Rodas, para cassar a aposentadoria do ex-dirigente. A alegação é que Rodas tomou medidas que causaram "lesão aos cofres públicos" e desequilíbrio financeiro da universidade. A “lesão”, na opinião de Zago é que os funcionários da USP tiveram a implantação da carreira que corrigiu defasagem salarial que impedia a permenência de técnicos de alto nível na Universidade.

Um dos principais fatores citados para o crescimento das despesas foi uma nova carreira para técnicos administrativos, diz a resolução de uma sindicância aberta por Zago. A sindicância questionou também a pertinência da concessão de aumentos ao pessoal de apoio. Rodas defendia que os salários estavam defasados à época. Em sua defesa, Rodas afirma ainda que não tomou as medidas sozinho e que o próprio Zago tinha conhecimento das ações, pois era seu pró-reitor.

Em um documento enviado à comissão de professores da USP que analisa esse caso, o ex-reitor afirmou que Zago é "interessado no julgamento", já que foi pró-reitor de pesquisa na sua gestão, "com mandato que lhe dava todo o poder de fala".

"Se todo o procedimento administrativo na época tivesse sido errado [...], como é aventado, [Zago] foi omisso e deve responder por isso."

Após ser notificado do processo que pode levar à cassação de sua aposentadoria, Rodas fez representação contra Zago na Comissão de Ética do Estado, por entender que o atual reitor cometeu irregularidades no processo. 

"Não se diga que o reitor Zago desconhecia o que se passava na USP, por mais de quatro anos, em matéria tão importante e de interesse de todos, como a de vencimentos de docentes e técnicos administrativos. Tal alegação seria pueril ou mesmo fruto de má fé!", escreveu Rodas em sua defesa na USP. Procurado pela reportagem nesta semana, Zago não se manifestou sobre as críticas feitas pelo ex-dirigente. Ele e Rodas romperam no fim do mandato do ex-reitor -que apoiou outro candidato na eleição à sua sucessão.

Zago quer cassa a aposentadoria de Rodas. O ex-reitor, de 70 anos, cumpriu mandato entre 2010 e 2014 e se aposentou em agosto passado. Se a punição for confirmada, será a primeira vez na história da USP que um reitor perde sua aposentadoria. O processo administrativo disciplinar contra o ex-reitor, assinado pelo atual dirigente, foi instaurado em junho.

 

 

facebook


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!