Somente em 2013 o Estado do Mississipi, nos EUA, oficializou o fim da escravidão

Somente em 2013 o Estado do Mississipi, nos EUA, oficializou o fim da escravidão

 

Abraham Lincoln aboliu a escravidão no país em 1864, mas o estado de Mississippi somente ratificou a 13° Emenda constitucional em 1995. Ratificou mas não comunicou oficialmente a decisão. Esses “esquecimento” fez com que oficialmente não houvesse liberdade para negros na região até 2013. Em 2013, quando Ranjan Batra, professor de neurobiologia na Universidade de Mississippi, assistiu ao filme "Lincoln", dirigido por Steven Spielberg, ele descobriu que a escravidão ainda imperava no Mississipi.

 

Na ocasião o presidente Lincoln e o Congresso aprovaram a medida que dava um fim à escravidão, mas cada um dos 36 estados de então deveriam fazê-lo individualmente. Os três quartos necessários para a lei entrar em vigor foram atingido quando a Georgia ratificou o decreto, em 1865. Os últimos foram New Jersey, em 1866; Delaware, em 1901; e Kentucky, em 1976. Mas o estado de Mississippi continuou com um asterisco ao lado de seu nome na lista. Estava escrito que havia “ratificado a emenda em 1995, mas como o estado nunca oficializou a decisão junto ao arquivista federal, a decisão não era oficial”.

 

De origem indiana e nacionalizado norte-americano em 2008, Batra consultou seu colega de trabalho Ken Sullivan e descobriu no site usconstitution.net o atraso do estado. Batra e Sullivan cobraram do secretário de Estado do Mississippi, Delbert Hosemann, para que finalizasse o processo - que nunca havia chegado ao fim porque o secretário de 1995, quando a lei passou no Senado e na Câmara, por estranhos motivos não enviou uma cópia ao Registro Federal. Somente no dia 7 de fevereiro de 2013, o estado do Mississippi - historicamente conhecido pelo racismo, oficialmente foi obrigado a abolir a escravidão.

 

* Com informações de The Clarion Ledger  

Fonte Opera Mundi

facebook