Animado com guiinada à direta do governo, Renan quer entregar de vez o Banco Central aos banqueiros

Animado com guiinada à direta do governo, Renan quer entregar de vez o Banco Central aos banqueiros

 

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), afirmou nesta sexta-feira (25) que o PLS 102/2007, que dá ao presidente e diretores do Banco Central mandato fixo de seis anos, com uma possível recondução, deve ser votado até dezembro.

 

A proposta assegura maior independência ao Banco Central ao determinar que a demissão do presidente ou dos diretores da autarquia terá que ser justificada e previamente aprovada pelo Senado, como já é feito com as nomeações. “O Brasil já está maduro para este debate e não devemos contaminá-lo ideologicamente. No momento em que um Banco Central possa, por ausência de autonomia, ser pressionado pelos governos, corre o sério risco de perder o respeito e a credibilidade dos agentes econômicos”, afirmou Renan Calheiros.

O presidente do Senado acredita que a independência do Banco Central é uma forma de garantir que a saúde da economia será sempre diagnosticada com precisão e isenção.  “O Banco Central deve seguir políticas de Estado e não de governos. Em sociedades amadurecidas não podem mais servir como força auxiliar dos governos”, ressaltou Renan Calheiros.

Além da autonomia operacional do Banco Central, o PLS 102/2007 estabelece novas regras para o funcionamento de todo o Sistema Financeiro Nacional (SFN), substituindo a Lei n° 4.595, de 31 de dezembro de 1964. A proposta, relatada pelo senador Francisco Dornelles (PP-RJ), está na Comissão de Assuntos Econômicos.

Fonte Senado

facebook


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!