Produção industrial tem maior queda desde dezembro de 2008

Produção industrial tem maior queda desde dezembro de 2008

 

Com queda na produção de veículos, indústria recuou 2,5% em fevereiro ante janeiro, diz o IBGE

 

RIO - A produção industrial caiu 2,5% em fevereiro ante janeiro, na série com ajuste sazonal, divulgou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado ficou dentro do intervalo das expectativas dos analistas ouvidos pelo AE Projeções, que estimaram quedas entre 0,70% e 2,70%, mas foi pior que o projetado pela mediana, negativa em 2,00%.

A produção de veículos automotores caiu 9,1% e puxou a queda da indústria em fevereiro. O recuo de 2,5% em fevereiro foi o mais intenso desde dezembro de 2008, quando houve queda de 12,2%.

Embora a redução na fabricação de automóveis tenha contribuído de forma relevante para a queda na produção industrial, o recuo teve perfil disseminado entre as atividades, ressaltou André Macedo, gerente da Coordenação de Indústria do IBGE. A única exceção foi a categoria de bens de capital, que mantém o ritmo de alta na produção, na contramão dos demais segmentos.

 

"Esse recuo (de 2,5% na produção industrial) praticamente elimina aquela expansão que a produção industrial havia assinalado no primeiro mês do ano. Mais do que a magnitude da queda, é o perfil disseminado que chama a atenção", apontou Macedo, lembrando que 15 dos 27 ramos investigados apresentaram retração.

 

O índice de difusão da indústria, que mostra o porcentual de produtos com expansão na produção, ficou em 38,4% em fevereiro, bem abaixo da média histórica para o mês (43,4%). Já o índice de difusão apenas para a categoria de bens de capital foi de 61,9%, consideravelmente superior à média histórica de 56,4% para o mês.

 

"O índice de difusão da indústria em fevereiro é muito menor do que o de bens de capital. O de bens de capital avançou e ficou muito acima da média histórica, diferentemente do resto da indústria e dos demais segmentos", notou o gerente do IBGE.

 

Segundo Macedo, apresentou comportamento positivo em fevereiro a produção não apenas de caminhões, mas também a de bens de capital para a construção, para a ampliação de parque industrial e para o setor agrícola. "Foi um movimento espalhado de crescimento dentro desse segmento de bens de capital", afirmou o pesquisador.

 

No primeiro bimestre de 2013, a produção de bens de capital acumula um ganho de 13,3%, contra uma queda de 9,9% registrada no quarto trimestre de 2012. Em janeiro e fevereiro, houve aumento na produção de bens de capital para a indústria (0,4%), para transporte (38,1%), e energia (9,6%).

 

Revisão. O IBGE revisou a produção industrial de janeiro ante dezembro de 2012, que passou de uma alta de 2,5% para 2,6%. A taxa de dezembro ante novembro de 2012 também foi revisada, de +0,2% para +0,1%. Já o resultado de novembro ante outubro saiu de -1,3% para -1,4%, enquanto o de outubro ante setembro passou de 0,9% para 0,8%.

 

A produção de bens de capital também sofreu revisão, saindo de uma taxa de 8,2% para 9,2% em janeiro ante dezembro de 2012. A taxa de dezembro ante novembro de 2012 passou de -0,1% para -1,9%. Já o resultado de novembro ante outubro saiu de -0,6% para -0,4%.

Fonte Estadão

 

facebook


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!