Plenária Nacional da CGTB aprova força total para o Dia Nacional de Paralisação no dia 30 e impedir o leilão do campo de Libra

Plenária Nacional da CGTB aprova força total para o Dia Nacional de Paralisação no dia 30 e impedir o leilão do campo de Libra

 

A Plenária Nacional da CGTB realizada na quinta-feira (15), em São Paulo, aprovou por unanimidade que a Central atue e dê força total para o Dia Nacional de Paralisação de 30 de agosto, fazendo mobilização com panfletagens nos estados convocando os trabalhadores; impedir o leilão do pré-sal no campo de Libra; realização de uma Campanha pela Recuperação das Perdas no FGTS; e que cada CGTB regional faça, até dezembro, dez filiações de sindicatos.

Na abertura do evento, o presidente da CGTB, Ubiraci Dantas de Oliveira (Bira), lembrou que mesmo diante da mobilização do dia 11 de julho em mais de 250 cidades, com a participação de mais de 2 milhões de trabalhadores, divulgando a Pauta Trabalhista, a resposta da presidente Dilma foi aumentar a taxa de juro para 8,5%, intervir contra que 50% do Fundo Social dos royalties do petróleo sejam destinados para a educação, cortar R$ 10 bilhões do Orçamento para engordar o superávit primário e manter os leilões do pré-sal no campo de Libra.

"Somente em 2012 foram transferidos R$ 230 bilhões dos recursos públicos para meia dúzia de bancos, a maioria estrangeiros, principalmente através do mecanismo chamado de superávit primário. Esse assalto monstruoso aos cofres públicos impede ao Estado prestar serviços de qualidade à população, especialmente Transporte, Saúde e Educação", denunciou o presidente da CGTB.

Bira ressaltou a importância de fazer a mobilização nos estados antes da Paralisação Nacional do dia 30. "Nossa responsabilidade é defender o nosso país, nosso povo, nossos trabalhadores. Na segunda-feira fomos panfletar no Largo da Concórdia, no Brás (centro de São Paulo), onde tem um turbilhão de gente. Foi impressionante a receptividade dos trabalhadores e trabalhadoras. Assim foi em todos os lugares que fomos essa semana aqui em São Paulo. Sugiro que cada estado faça agitações convocando para o dia 30 em locais de grande concentração de pessoas", falou Bira.

"Nós estamos providenciando, com outras entidades como a Associação dos Engenheiros da Petrobrás (Aepet), ações jurídicas porque esse leilão é totalmente ilegal. A CGTB vai mobilizar o povo para ir ao Rio de Janeiro. Nós vamos impedir esse leilão porque senão vamos concordar com os prejuízos que isso vai causar aos nossos filhos e a nossa Nação. Muitas pessoas sacrificaram suas vidas na campanha O Petróleo é Nosso. Queremos unir todos para impedir esse roubo do nosso petróleo. Para nós essa é uma questão de honra", disse Bira.

De acordo com o secretário-geral da CGTB, Carlos Alberto Pereira, "nós queremos o aprofundamento da política econômica que o Lula vinha fazendo. Mas para isso é preciso fazer essa mobilização do dia 30, que será diferente do dia 11 de julho, quando as Centrais se unificaram esquentadas pelas manifestações espontâneas contra o aumento das passagens. Agora as Centrais estão assumindo a responsabilidade pela mudança na política econômica".

"Por isso que é importante que a gente vá para as ruas com as Centrais Sindicais marcando panfletagens e atos nos próximos dias e se organize para fazer aflorar a consciência dos trabalhadores", sublinhou Pereira.

O secretário Nacional dos Aposentados da CGTB, Oswaldo Lourenço, foi enfático: "As remessas de lucros que estão saindo do Brasil é um crime. Estão tirando dinheiro dos trabalhadores, que constroem as riquezas desse país, para resolver os problemas do imperialismo norte-americano, que tem arrasado o mundo inteiro para tentar sair da crise em que estão".

Paulo Sabóia, presidente da CGTB-SP, afirmou: "Estamos nas ruas essa semana fazendo mobilização e a receptividade do povo está enorme porque a situação está complicando no país e eles estão sentindo isso. Vai ser importante aumentarmos esse processo de mobilização e organização até o dia 30 de agosto".

Para José Juvino, presidente da CGTB-RJ, "não resta dúvida que há um retrocesso do governo atual em relação ao governo Lula".

"Se não resolvermos a questão econômica do país nós não vamos solucionar os demais da agenda trabalhista. Nossas sugestões apresentadas a presidente Dilma foram de vanguarda", frisou Sérgio Cabral, presidente da CGTB-AL.

O presidente da CGTB-RN, Francisco Sena, resgatou que "no dia 11 de julho nós colocamos a bandeira da CGTB nas ruas do Rio Grande do Norte e cumprimos um papel muito bonito. Agora no dia 30 de agosto queremos fazer mobilizações em pontos estratégicos de Natal. Estamos com muita vontade de lutar pelo que é de direito de todos nós, que somos os trabalhadores".

José Arnaldo, coordenador da CGTB-SE, afirmou que no dia 11 de julho "a CGTB-SE estava nas ruas com faixas, bandeiras e carro de som e teve destaque porque a defesa que a CGTB faz é o que anseia o povo. Já estamos lutando contra os leilões do pré-sal por meio de entrevistas e encontros com os sindicatos para que possamos barrar esse leilão. Essa causa é nossa porque é do povo brasileiro".

Estiveram presentes na Plenária Nacional da CGTB dirigentes sindicais de São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Paraíba, Sergipe, Alagoas, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Brasília.

 

Fonte CGTB

 

facebook


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!