Paim: “Essa forma de progressividade é indecente”

 

O senador Paulo Paim (PT-SP) chamou a MP baixada por Dilma Rousseff de inconstitucional e a regra de "indecente". Ele disse que a fórmula 85/95 já existe no serviço público e que ela é fixada na Constituição. Portanto, a regra para o aposentado do INSS também deveria ser fixada na Constituição. Ele disse que consultou vários especialistas e que todos apontaram que a medida é inconstitucional. Além disso, na sua avaliação, a MP acaba fixando uma idade mínima para aposentadoria, o que ainda não existe no Brasil, ao estabelecer a fórmula 90/100, com a revisão da expectativa de vida a cada ano.

Para Paim, na prática, a mulher se aposentará a partir dos 60 anos e o homem, a partir dos 65 anos.

“Essa forma de progressividade é indecente. Não há ninguém, nenhum especialista que explique que a expectativa de de vida vai subir um ano todo ano. É indecente. A presidente errou. Foi um erro social, econômico e político. E a tática e a estratégia estão erradas”, disse Paim. Para\ o senado esse é r "um erro social, um erro econômico, um erro político. [...] [Dilma] Errou novamente", disse Paim, contestando a constitucionalidade da proposta. "Indecente. Eu não tenho nenhuma dúvida. Essa fórmula de progressão é indecente", acrescentou. 

Ele repetiu que ele e os sindicalistas trabalharão em três frentes: derrubar o veto, derrubar o trecho da progressividade na MP e ainda ingressar no Supremo Tribunal Federal (STF). “É questão de insonomia. Não pode o servidor público se aposentar com 85/95 e o aposentado do INSS com 90/100”, completou Paim.

Fonte O Globo

 

 

facebook


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!