Madri realiza a maior manifestação a favor de referendo desde abdicação do rei

 

 

Manifestantes fizeram assembleia popular e pediram que Congresso aprove consulta para decidir entre monarquia parlamentar e república

Apenas cinco dias após a abdicação do rei Juan Carlos, a capital espanhola registrou neste sábado (07/06) a sua segunda grande manifestação a favor de um referendo sobre a monarquia. Ao contrário da primeira concentração, realizada na última segunda-feira e organizada por redes sociais, o ato deste final de semana foi convocado pelos principais partidos de esquerda do país, principalmente o Equo e o IU (Esquerda Unida), e reuniu ainda mais pessoas.

Rafael Duque

Campanha a favor da realização de uma consulta popular a respeito da continuidade da monarquia ganha adeptos na Espanha

Às 18h30, meia hora antes do horário marcado, a Praça de Cibeles, local de início do protesto, já estava tomada por bandeiras vermelhas, amarelas e roxas, cores da Segunda República Espanhola (1931-1939). Quando o relógio da sede da prefeitura de Madri marcou 19h, as ruas próximas à concentração foram fechadas pela polícia e os manifestantes começaram a caminhar em direção à Praça Puerta del Sol, no centro da cidade.

Pelo caminho, turistas e desavisados se uniram à marcha aos gritos de “Espanha amanhã será republicana” e “Ninguém votou em Felipe”, em referência ao Príncipe de Astúrias, que será proclamado rei no próximo dia 19 e se converterá em Felipe VI.

Já na Praça Puerta del Sol, destino final da marcha, os manifestantes realizaram uma assembleia popular e pediram, com gritos de ordem, que o Congresso de Deputados vote a favor da realização de um referendo popular que os permita escolher se preferem seguir em uma monarquia parlamentar ou se querem fundar uma nova república.

Rafael Duque

Pelo menos 88 mil vítimas do franquismo continuam sepultadas em valas comuns

Um momento marcante da assembleia foi a chegada de parentes de vítimas do franquismo ao local. As milhares de pessoas que lotavam a praça se levantaram e aplaudiram durante vários minutos os senhores e senhoras de idade que buscam na Justiça argentina a investigação dos crimes realizados pelo Estado espanhol durante a regime do ditador Francisco Franco (1939-1975).

Projeto de lei

Na próxima quarta-feira (11/06) o Congresso de Deputados irá votar em sessão única o projeto de lei que regula a abdicação do rei Juan Carlos. Os grupos de esquerda (liderado pelo IU) e misto (coalizão de diversos partidos nacionalistas) pediram ao presidente da casa que o voto seja nominal, assim, cada deputado deverá ser chamado a declarar publicamente se é a favor ou contra o projeto.

Além do procedimento do voto, o IU também apresentou na última sexta-feira uma proposta de emenda ao texto elaborado pelo governo do presidente Mariano Rajoy (Partido Popular). Nela, o partido liderado pelo deputado Cayo Lara propõe que um referendo sobre a monarquia seja organizado dentro de três meses.

Rafael Duque

Manifestações ocorreram em diversas cidades espanholas; em Pamplona e Valência, mais de 30 mil foram às ruas

A alteração do procedimento do voto deve ser aceita pela mesa do Congresso, mas a emenda não deve ter sucesso. O PP conta atualmente com a maioria absoluta na câmara e, por isso, deve vetar qualquer modificação ao texto apresentado.

Após a possível aprovação do projeto que estabelece os critérios da sucessão pelo Congresso, o texto segue para o Senado, que também deve aprová-lo sem grandes problemas. A Casa Real espanhola trabalha com a hipótese que a proclamação do atual Príncipe de Astúrias deva ocorrer no próximo dia 19 de junho.

Fonte Opera Mundi

Rafael Duque | Madri - 07/06/2014 - 18h45

 

facebook


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!