Liberdade de imprensa: Oficiais britânicos destroem discos rígidos do The Guardian

Liberdade de imprensa: Oficiais britânicos destroem discos rígidos do The Guardian

Antes da destruição dos discos rígidos, um dos agentes britânicos teria dito na redação: “Você já teve o seu divertimento. Agora queremos as coisas de volta.” A notícia do ataque contra a redação do jornal acontece pouco depois da detenção, “por suspeitas de terrorismo”, do brasileiro David Miranda, companheiro de Greenwald. Miranda foi interrogado por nove horas no aeroporto de Heathrow, por onde tentava embarcar de volta ao Brasil, onde o jornalista britânico tem residência.

O editor Alan Rusbridger disse que explicou aos funcionários do governo, que não estavam identificados no momento da invasão, que havia outras cópias fora da Inglaterra das informações que eles procuravam destruir – o que não evitou o ataque e a destruição dos equipamentos do jornal. O jornalista disse ainda que o “Guardian” não deixaria de continuar a relatar as histórias repassadas por Snowden, mas reconheceu que a pressão dos governos da Grã-Bretanha e dos Estados Unidos estavam tornando o trabalho dos jornalistas cada vez mais difícil.

Do Jornal GGN

Com informações do The Verve e Guardian

facebook