Produção industrial cresce 0,7% em março

Produção industrial cresce 0,7% em  março

 

 

Produção industrial avançou 0,7% em março ante fevereiro, mas recuou 3,3% na comparação com o mesmo mês de 2012

 

A produção industrial brasileira mostrou recuperação em março, ao subir 0,7% frente a fevereiro, mas o número veio bem abaixo do esperado pelo mercado e indicando que a recuperação da economia brasileira continuava tímida e frágil.

Na comparação com março de 2012, a produção industrial mostrou contração de 3,3%, segundo informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira.

 

A produção de bens de capital (máquinas utilizadas nas indústrias), subiu 0,7% de fevereiro para março. Em comparação a março do ano passado, a alta foi de 4,3%. A expansão acumulada no trimestre chega a 11,7%.

"O que se vê é uma recuperação da indústria no começo do ano em relação ao fim do ano passado, mas não quer dizer que a industria vai muito bem", afirmou o economista do IBGE André Macedo, acrescentando que março teve dois dias úteis a menos do que um ano antes, o que também explica a queda anual mais forte.

De janeiro a março, a produção industrial subiu 0,8% e "está bem melhor" em comparação ao primeiro trimestre de 2012, quando o índice trimestral caiu 0,9%, salientou Macedo. No quarto trimestre de 2012, o indicador registrou queda de 0,1%.

PIB. A economista do banco ABC Brasil Mariana Hauer classificou de ruim o resultado da produção industrial E disse que os dados fracos podem levar à revisão para baixo do Produto Interno Bruto (PIB), embora não tenha estimado de quanto seria essa queda.

 

"(A produção industrial de) janeiro apresentou forte resultado positivo (2,5%), fevereiro foi fortemente negativo (-2,4%, após revisão) e março acabou vindo fraco", disse Mariana, afirmando que o primeiro trimestre é um resultado perto do "zero a zero". Ela viu como destaque positivo o setor de bens de capital, que cresceu 4,3% em março na comparação com o mesmo mês do ano passado.

 

Consumo. A produção de bens de consumo avançou 1,4% ante o mês anterior e caiu 7,2% na comparação com março de 2012. Entre os bens de consumo, os duráveis avançaram 4,7% de fevereiro para março e caíram 4,0% em relação a março do ano passado.

Os semiduráveis e não duráveis caíram 0,5% na passagem de fevereiro para março e caíram 8,2% ante março de 2012.Os bens intermediários avançaram 0,8% de fevereiro para março e caíram 1,7% ante igual mês do ano passado. 

 

A produção industrial avançou em 13 dos 27 ramos investigados pelo IBGE, com destaque para o setor de veículos automotores, que cresceu 5,1% em março, comparado a fevereiro. Dessa forma, o setor eliminou parte da queda de 8,1% verificada em fevereiro ante janeiro.

Também apresentaram resultado positivo os setores de refino de petróleo e produção de álcool (3,3%), máquinas para escritório e equipamentos de informática (11,9%), bebidas (4,6%), fumo (33,4%), mobiliário (11,0%) e borracha e plástico (2,7%).

Em contrapartida, apresentaram resultados negativos os setores de alimentos (-2,7%), com a segunda queda consecutiva, outros equipamentos de transporte (-5,0%), produtos de metal (-4,4%), diversos (-7,3%) e outros produtos químicos (-1,0%).

Fonte Agência Estado

 

 

 

 

facebook