Gurgel pede e Toffoli autoriza quebra de sigilo de Protógenes e Amorim

STF ordena quebra dos sigilos de deputado

Protógenes faz críticas a procurador-geral

DE BRASÍLIA

O ministro José Antonio Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal, determinou ontem a quebra de sigilos bancário, fiscal e telefônico do deputado federal Protógenes Queiroz (PC do B-SP).

Ele é investigado sob suspeita de ter recebido propina quando chefiou, como delegado da Polícia Federal, a Operação Satiagraha, que prendeu Daniel Dantas.

Também terá o sigilo telefônico quebrado o empresário Luiz Roberto Demarco, ex-sócio de Dantas e que se tornou um de seus principais adversários numa disputa para conseguir o controle da empresa Brasil Telecom.

Os pedidos foram feitos pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel no final de abril, dando seguimento a uma investigação da primeira instância da Justiça Federal de São Paulo, que apurava supostas relações ilegais entre Demarco e Protógenes e constatou a existência de diversas ligações telefônicas entre eles durante as investigações da Satiagraha.

Folha tentou contato com Protógenes e com os advogados do empresário, mas não conseguiu localizá-los. Pelo Twitter, o deputado afirmou que Roberto Gurgel "fez parecer favorecendo a defesa com fatos mentirosos".

A Operação Satiagraha, deflagrada em 2008, investigou supostos crimes financeiros cometidos pelo Opportunity, de Daniel Dantas. O empresário foi preso duas vezes e foi solto nas duas ocasiões pelo ministro Gilmar Mendes.

Fonte Folha de São Paulo

 

facebook


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!