Greve geral em Portugal contra o arrocho da troika


Uma greve geral de 24 horas contra as medidas de austeridade implantadas pelo governo português interrompeu ontem inúmeros serviços públicos no país, especialmente o setor de transporte. Grande parte dos trens e ônibus e o metrô de Lisboa não funcionaram, obrigando a população a tirar os carros das garagens, o que gerou engarrafamentos na capital e no Porto, a segunda maior cidade do país. Líderes empresariais e partidos da oposição se uniram ao protesto, pedindo ao governo de centro-direita que volte atrás nos aumentos de impostos e cortes de salários. O gabinete do premiê Pedro Passos Coelho, no entanto, está preparando um novo aperto nos gastos públicos. Portugal, que enfrenta a sua pior crise econômica desde a década de 1970, há dois anos fechou um acordo com o Fundo Monetário Internacional e a União Europeia pelo qual está recebendo uma ajuda de € 78 bilhões, condicionada à adoção de medidas de austeridade. Na foto, grevistas fazem passeata em Lisboa.

facebook


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!