Em tempo de terrorismo inflacionário nada como lembrar a idiotice de Veja com o "boimate em cores"

Em tempo de terrorismo inflacionário nada como lembrar a idiotice de Veja com o "boimate em cores"


Graças ao acervo digital da Veja, muitos de vocês poderão ver pela primeira vez essa obra que entrou para a história do jornalismo brasileiro.

O lead da matéria é assim: “Familiarizados com as delicadas estruturas da células..."

Para repercutir, incumbiram um repórter de entrevistar um engenheiro genético da USP - o correspondente da Alemanha se recusou, mesmo sob ameaça de demissão. O repórter foi, o biólogo disse que era impossível. Precisando voltar com a resposta solicitada, o repórter soltou a casca de banana: "Mas suponhamos que...". E o cientista caiu.

Deu nisso:

Aí, na edição seguinte, a seção de Cartas repercutiu o furo: obviamente com carta a favor.

Por fábio josé de mello

No site http://www.humornaciencia.com.br/noticias/boimate.htm tem um artigo muito engraçado.

“O espírito gozador e , mais surpreendente às vezes até irado do brasileiro, no entanto, não deixou por menos. Durante o intervalo entre a matéria da Veja e o desmentido do Estadão, cartas e mais cartas chegaram às redações.

Um delas que, maliciosamente, assinou ” X-Burguer, Phd, Capital”, lembrava que no Brasil já haviam sido feitas descobertas semelhantes: o jeribá, cruzamento de jabá com jerimum, ou o goiabeijo, cruzamento de gens de goiba, cana-de-açúcar e queijo, e adiantava que seus estudos prosseguiam para criação do Porcojão ou Feijoporco, cruzamento de porcos com feijões que ele esperava dar como contribuição à tradicional feijoada paulista’.

Fonte Nassif

facebook