Cunha tenta de novo intimidar Procurador Geral da República

 

A defesa do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) acesso a dois depoimentos que o lobista Júlio Camargo teria dado à Procuradoria-Geral da República (PGR) incriminando o parlamentar, bem como as provas produzidas com a ajuda do delator para subsidiar as investigações da Lava-Jato.

 

Júlio Camargo informou à justiça que Eduardo Cunha exigiu propina de US$ 5 milhões para não atrpalhar contratos com a Petrobrás. Nessa ocasião, o lobista informou ter prestado depoimentos anteriores à força-tarefa da operação na PGR. Segundo Camargo, o primeiro teria sido há quatro meses e o segundo, há três meses — ambos incriminando o presidente da Câmara.

 

facebook


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!