Cortes no orçamento provocam caos na saúde pública

 

Um relatório do Conselho Regional de Medicina (Cremerj), baseado nos relatos dos médicos que trabalham na Região Metropolitana do Rio, mostra quais são as unidades estaduais que estão praticamente desativadas devido à crise financeira que afeta a saúde do estado.

O Cremerj aconselha que os pacientes busquem hospitais e Unidades de Pronto Atendimento (UPA) administradas pelo município do Rio de Janeiro. A situação é grave no Rio de Janeiro mas ela está instalada também na maioria dos Estados. Os hospitais universitários estão em situação ainda mais dramática. 

 

CRISE NA SAÚDE DO RJ

 

Hospitais têm atendimento prejudicado. A situação é uma emergência, diz cremerj

 

Hospitais com problemas críticos:

 

Hospital Albert Schweizer, em Realengo

Hospital Getúlio Vargas, na Penha

Hospital Adão Pereira Nunes, em Duque de Caxias

Hospitais com problemas graves:

Hospital da Mulher Eloneida Studart, em São João de Meriti

Hemorio, principal banco de sangue do Estado do Rio

Instituto Estadual de Diabetes e Endocrinologia, no Centro

Instituto de Cardiologia Aloysio de Castro, no Humaitá

Hospitais estaduais em funcionamento, mas de forma precária:

Hospital Alberto Torres, em São Gonçalo

Hospital Carlos Chagas, em Marechal Hermes

Hospital Rocha Faria, em Campo Grande

UPAs estaduais com problemas no atendimento:

Realengo

Ricardo de Albuquerque

Marechal Hermes

Taquara

Jacarepaguá

Botafogo

Barra Mansa

Cabo Frio

Duque de Caxias

Niterói

Nova Friburgo

Fonte G1

facebook


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!