Correa na Celac: "Liberdade é para o povo e não para o capital"

 

O presidente equatoriano, Rafael Correa, pediu que Celac crie um novo sistema de direitos humanos livre da OEA, CIDH e outros sistemas hegemônicos". Para Correa, a liberdade de expressão na América Latina vem sido confundido com os direitos empresariais e, por isso, pediu que os governos garantam que essa liberdade seja exercita para o povo e não para o capital. “Desde que se inventou a imprensa, a liberdade de imprensa não é nada além da vontade do dono do meio de comunicação”, denunciou.

 

Segundo Correa, “vemos cotidianamente que as expressões colonialistas não desapareceram”, o que é resultado do ”império do capital e uma de suas extensões: os monopólios da comunicação que pretendem impor suas visões e interesses, uma ordem mundial injusta”.

 

O presidente afirmou ainda que “uma coisa é o ser humano em função do capital e outra coisa é o capital em função do ser humano”. “Espero que a Celac substitua a OEA. Temos que aprender a dialogar e ter consensos mínimos. Tolerância zero ao neocolonialismo, esse é um consenso mínimo”, afirmou.

 

Com in formações do Vermelho

facebook


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!