À beira de ser preso, Cunha ameaça "explodir o governo"

Investigado, entre outras coisas, por cobrar propina de 5 milhões de dólares do representante da empresa ToyoSetal, o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) ameaça “explodir o governo”. A reação se deu logo após o depoimento do empresário dando detalhes da extorsão a que foi submetido por Cunha para que os contratos da empresa com Petrobrás não fossem bombardeados pelo Congresso Nacional.

Além de Cunha, as revelações dos investigados que decirdiram colaborar com a justiça para desbaratar a quadrilha que se instalou na estatal, indicam também que o tesoureiro nacional do PT e ministros do governo Dilma estariam envolvidos nos desvios milionários de recursos da Petrobrás.

“Saiba que o presidente da Câmara agora é oposição ao governo. Eu, formalmente, estou rompido com o governo. Politicamente estou rompido”, disse Eduardo Cunha (PMDB-RJ) nesta manhã, a poucas horas de seu pronunciamento em cadeia nacional; ele disse que, como político, vai tentar convencer o PMDB a seguir o mesmo caminho; a decisão foi motivada pela acusação de que o peemedebista teria recebido US$ 5 milhões em propina; o deputado disse que a operação Lava Jato “é uma orquestração do governo” e que ele tem direito a ser julgado no STF; “Vamos entrar com uma reclamação para que venha [o processo] para o Supremo e não fique nas mãos de um juiz que acha que é dono do país”, atacou, em relação a Sérgio Moro; a aliados, ele tem dito que irá “explodir o governo”.  

facebook


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!