Netanyahu: “Não me interessa o que a ONU diz sobre assentamentos”

26/12/2012 00:18

 

Nazi sionista israelense, em campanha eleitoral, defende em entrevista construção de casas em territórios ocupados

 
 

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, declarou na noite desta sexta-feira  (21/12) que Israel tem o direito de construir assentamentos na região oriental de Jerusalém, área reivindicada pelos palestinos, mesmo com a desaprovação de boa parte da comunidade internacional e da ONU (Organização das Nações Unidas).

Em entrevista ao Canal 2 da televisão local, o premiê, que é favorito na eleição legislativa marcada para janeiro de 2013, ele afirmou que trata-se de uma questão de princípios, e pouco importa o que as Nações Unidas pensam a respeito.

Agência Efe (16/12/12)

O premiê israelense Benjamin Netanyahu reativou a política de assentamentos em territórios palestinos  

"Vivemos em um estado judeu e Jerusalém é a capital de Israel. O Muro das Lamentações não é território ocupado. Construímos em Jerusalém porque é nosso direito. O que a ONU diz não me interessa", manifestou o chefe do Governo israelense.

O premiê também negou que esta questão esteja relacionada às eleições e não faria parte da estratégia do principal conselheiro de seu partido, Arthur Finkelstein. “Isso é lenda urbana, trata-se de uma política de governo”.

Um dia após o reconhecimento da Palestina como estado observador não membro da ONU no dia 29 de novembro, Israel anunciou planos para construir 3.000 novas unidades de moradia em assentamentos judaicos e avançar o polêmico projeto de edificação na zona E-1, que conectaria o grande assentamento de Maaleh Adumim com Jerusalém e minaria a continuidade territorial do Estado palestino.

Fonte Opera Mundi

facebook